Sem Medo de Morrer


No momento em que o título original do filme começa a fazer sentido para o espectador, percebe-se a gigantesca reviravolta que a trama propõe. A produção passa a ser definida justamente por essa mudança de rumo na vida da professora Diana. O que aparentava ser a vida de uma mulher, já estabelecida com marido e filha, que relembra seu tempo de escola onde dividia bons momentos com sua melhor amiga é transformado e mexido de tal forma que trai o público.

Sendo vendido como drama desde sua abertura até os 10 minutos finais, Sem Medo de Morrer não convece ao se tornar um suspense em seu encerramento. A jogada supostamente surpreendente não é engolida e termina confundindo mais do que justificando. De qualquer maneira, o caminho do espectador até essa brusca mudança não é tão prazeiroso a ponto de favorecer o filme. Tanto o andamento principal como o que é proposto no final não funcionam. Nem mesmo Uma Thurman e Evan Rachel Wood salvam a platéia da frustração.

Nota: 4,5

37 comentários:

Amanda disse...

Eu n entendi o final do filme!
Pode me explicar?rsrs
Ela morreu ou a amiga morreu..q louco..aquela vida adulta dela n existe?por favor dê uma luz!

Vaneide disse...

Amanda, eu estou como vc desesperada que alguém me explique o filme. Acabei de assisti-lo e não entendi nada. Vai aqui uma opinião: Talvez ela (UMA) não suportando mais o setimento de culpa resolveu criar um outro final pra aquele dia no qual ela covardemente deixou a amiga morrer. Se não foi isso, alguém pode nos ajudar?

Cassandra disse...

Bom...um filme super confuso...oq salva mesmo são as atrizes...

La vai o que eu acho que aconteceu... na verdade a vida adulta dela não existiu...no momento em que estava com a arma apontada pra ela...ela imaginou como seria sua vida se ela sobrevivesse...pois o titulo original seria "a vida diante de sues olhos"... foi ai que comcei a pensar... na verdade o filme se passa no presente e ela tem os flahs da vida adulta...

Fiquei pensando se poderia ser algo estilo Efeito Borboleta...ela poder mudar os acontecidos...mas nada, nada no filme indicava isso...então cheguei a conclusão acima....

Beijos...

MaxCirne disse...

É bem isso mesmo, Cassandra!
*spoiler*
Quando ela está frente a frente com a morte, ou seja, com o garoto portador da arma, ela começa a imaginar como seria a sua vida adulta.
Tudo que assistimos de Uma Thurman não aconteceu. Porque ela decide se sacrificar pela amiga.
É aquilo que se diz: "antes de morrer, toda sua vida passa diante dos seus olhos, como se fosse um filme". Isso mesmo que acontece. Ela imagina como seria toda sua vida se quem tivesse sobrevivido fosse ela.
Entenderam? Beleza?
abraço

Tathiane disse...

Isso mesmo,,,, enfim alguem que pense como eu,,,, rs
Tanto que o fim do filme é com o grito da mae dela chamando por ela que foi justamente a hora do tiro que a atingiu. A filha dela era uma imaginaçao do que ela foi, o cel do professor que sempre caia na caixa postal, enfim,,, antes de morrer, toda sua vida passa diante dos seus olhos. ela projetou sua vida adulta. ah,,,, por isso que no fim,,, quando ela entra para a homenagem e à perguntam se ela é uma das sobreviventes ela responde que Não... pois ela morreu. rs

natalia disse...

aaaaaah... ta! agora tudo ficou claro! valeu galera ;)

lusmar disse...

se ela estava morta, como pode ter ido e sido vista por alguém na homenagem às vitima??? E ter respondido q nao era sobrevivente??? isso nao colou.

samara disse...

ela respondeu q naum era uma sobrevivente pq ela morreu ...
está ai a pegadinha do filme kkk
tenho q admitir o filme eh inteligente por isso o confuso

kissed disse...

eu entendi assim … na realidade a Diana mais velha não existiu.. é somente o q a personagem mais nova projetou na sua consciencia de “como seria sua vida fora da escola e mais velha”, durante seus ultimos suspiros de vida… o q explica o titulo 'the life before her eyes'. Esses ultimos momentos estão relacionados com o tempo q o coração da diana resistiu ao tiro como professor havia citado q o coração é o musculo mais forte do corpo. O marido não a trai de forma alguma …o q ela ve é ela mesma mais nova comprando um frozen yogurt q a amiga recomendou…e a filha na realidade é ela mesmo mais nova e o nome emma saiu do tumulo q ela tinha visto pouco tempo antes de receber os tiros. Os saltos na piscina são reflexos de sua queda na água do banheiro inundado. Ou seja, a fase mais velha é o inconsciente processando tudo aquilo q havia ocorrido com ela antes do tiro junto com os desejos da personagem sobre seu proprio futuro. Não sei se o q eu escrevi fez muito sentido kkkkk mas foi como eu interpretei o filme, rs.

Deise disse...

Hoje assisti ao filme pela primeira vez e, ao final, elouqueci por não ter entendido. Achava que tinha deixado passar algum dado importante. Corri para a internet! Que alívio ao ler os comentários acima.. hehe.

Agora, parece claro: a ideia de que Diana projetou sua vida no futuro minutos antes de morrer é coerente com o título original, com os comentários que a Diana adolescente faz a amiga na biblioteca (o que evidencia a sua perspectiva sobre a vida), com os últimos acontecimentos q ela vivencia antes de chegar ao colégio no dia do tiroteio (ex: o nome "emma" do túmulo, que a impressionou), os flashes de como a Maureen tem sido uma ótima amiga para ela e, por fim, a palestra do professor que a Diana adolescente assistiu minutos antes do tiroteio (que tratava justamente da questão de projetar sua vida para o futuro de modo a fazer as escolhas no presente. Foi o que ela fez no momento da trama no banheiro, de frente com o atirador). Inclusive, acho q o Professor da palestra é a figura que ela projetou como seu suposto marido.

Agora que entendi o filme (rs), a proposta da trama é ótima, mas foi mal elaborada na minha opinião. O filme não retratou bem a ideia e, ao contrário, deixou o público confuso e insatisfeito. Senão fossem os comentários de vcs, ainda estaria puxando os cabelos! Obrigada! :)

Simonevp disse...

Também fiquei confusa, mas agora consegui entender tudo.
Gostei do filme.

Marina Lima disse...

nossa .. me senti uma estúpida ao final do filme ! ainda bem que nao foi so eu q nao entendi ! haha
e só um comentario sobre a cruz com o nome 'emma' .. a criança ali nao foi o bebê que ela abortou ? oq ela teve com o namorado estranho dela ?

maria disse...

genteee...o filme é lindO...o valor de uma amizade...

Edna disse...

Nossa! E meus amigos costumam dizer que sou muito inteligente!!! Meus Deus ! Que frustação!!! Não havia entendido nada até ler os posts de vocês! Achei que ela tinha optado por sobreviver à amiga e que a sua consciência a estava perseguindo. Valeu Galera! Acho que vou ter que estudar mais um pouco !

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda disse...

mesmo porque, gente, se ela estivesse imaginando o que aconteceria na vida adulta, por que imaginaria o marido lhe traindo ou a filha sumindo? Ninguém imaginaria coisas como essas pra vida. Rs.

Fernanda disse...

Ops! Removi minha postagem anterior. Sorry! Deixe-me "repostá-la". Rs.
Então, eu não entendi nada disso que todo mundo postou. Na verdade, só fui assistir o filme hoje e não sabia que o título original era "the life before her eyes". Eu tinha entendido o seguinte: na verdade, ela havia morrido para salvar a amiga. Só que nunca conseguiu aceitar aquilo. Exatamente por ser uma pessoa destemida e que amava a vida (como o namorado dela na adolescência uma vez disse: "o que eu mais gosto em você é que você não tem medo de nada" ou algo do tipo. Então ela, espírito, criou aquela vida adulta toda e viveu durante anos aquela ilusão. Tipo o personagem do Bruce Willis no filme "o sexto sentido", sabe? Entao ela imaginou td o q ela queria que tivesse acontecido na vida adulta dela e criou seu próprio mundo, onde era casada com o professor por quem era apaixonada, tinha uma filhinha que na verdade, era exatamente como ela qnd criança e o nome realmente veio do túmulo que ela havia visto. E acho que, na verdade, ela se arrependeu de ter abortado. Entao criou aquela filha com o nome de uma criança que também foi abortada (ja que nao nasceu, entao presumo que tenha sido abortada ou entao morreu ainda no ventre da mae). Acho que esse lance do nome de um bebê que não nasceu foi algo do tipo: "se a Emma, alguém que deveria ter nascido e não nasceu, tivesse nascido, seria uma criança a menos "não nascida", como o filho que ela abortou. Entendem? Como se ela tivesse voltando atrás e não cometendo o aborto. Então, uma criança que supostamente teria tido sua vida ainda no ventre materno interrompida, na verdade, teria nascido. Não sei se consegui me expressar claramente. Se não, me desculpem. Rs. Mas então, achei que a Diana adulta era, na verdade, o espírito da Diana adolescente que não aceitava sua morte. Tanto que na hora de seu suposto atropelamento, nada aconteceu com ela. Era como se o carro tivesse passado por cima dela e nada tivesse acontecido. Agora, o fato de o médico, as freiras e tds os outros a verem, foi um mistério pra mim. Rs. No final, ela resolve ir a escola levar flores porque já está começando a aceitar que está morta (acho que por isso que no começo ela não queria ir. Porque não queria entrar lá e lembrar do que havia acontecido. Era como se fugisse da morte). Ela começa a aceitar a morte e a se desfazer de sua vida imaginária (inventa uma traição do marido, a filha some) e ela finalmente se dá conta que morreu e nada daquilo existiu de verdade. Sei lá, posso estar viajando muito, mas foi isso que entendi e até achei o filme bem legal e bonito.

Fernanda disse...

esse cara, pelo visto, teve uma interpretação parecida com a minha...depois dêem uma olhada, se tiverem interesse:

http://encontrodementes.blogspot.com/2008/11/life-before-her-eyes.html?zx=2f51cb42fe6e25

Fernanda disse...

ah! outra coisa que explica o fato de eu pensar que ela criou a Emma como uma forma de voltar atrás e fazer parecer que ela não havia cometido o aborto é a conversa que ela tem com a menina aos 54:40 do filme. Emma pergunta pq sua mãe sempre a olha como se estivesse sempre brava, diz que a mãe a odeia. Aí Diana fala para Emma jurar que vai parar de brincar de se esconder e Emma diz que jura por sua vida, e começa a rir. Aí Diana fica perplexa e diz que não tem graça e Emma diz "mas tem sim". A graça toda da menina jurar por sua vida é que ela, na verdade, nunca viveu. E Diana tem um sentimento de culpa em relação a filha. Não é uma relação normal entre mãe e filha e isso fica claro durante todo o filme. Acho que o fato de Emma brincar de se esconder e ficar sumindo também tem algum significado, mas não cheguei ainda a nenhuma conclusão. Talvez seja o medo que o espírito de Diana sente de "perder" sua filha, o remorso que sente por ter cometido o aborto.

Fernanda disse...

E tem também uma parte que Diana está sentada no chão do banheiro chorando, quando ela descobre que o marido a traiu, exatamente a 1:07:12, e ela diz: "eu te amava tanto", usando o verbo no passado, porque sabe que agora ela está morta. E depois ela diz algo parecido como: "eu achei que se vivesse de uma certa forma, cuidasse da minha filha, te amasse, poderia fazer tudo ficar bem". Ou seja, ela criou aquela vida certinha, totalmente diferente da vida que a Diana adolescente vivia, porque achava que se ela fosse uma pessoa "boa" talvez não morresse. Ela simplesmente não aceitava o fato de estar morta, ela queria viver, mas achava que a Diana inconsequente teria que dar lugar a uma Diana mais certinha, como sua amiga Mauree. Talvez por isso Mauree tenha vivido, porque ela merecia, era boa e td mais. Acho que ela achou que se pudesse ser como Mauree, ela também mereceria ter sua vida de volta. E depois dessa cena que Diana fala tudo isso pro marido, ela diz: "você não consegue entender". E ele fala: "não, eu não consigo. Eu sou seu marido". E, depois de um tempo, ela diz: "você não é meu marido". Como se a partir daí ela tivesse mesmo aceitado sua morte e resolvido parar de fingir.

Fernanda disse...

Logo depois dessa cena do banheiro, aparece a Diana adolescente assitindo a palestra que o Professor Paul McFee (marido da Diana adulta) havia dado e ele fala algo parecido como: "um grande filósofo americano disse: 'comece a ser agora o que você deseja ser no futuro.' Como fazer isso? Através da nossa imaginação, através da capacidade que temos de moldar e projetar nosso futuro através das possibilidades que vemos a nossa frente." Depois ele diz algo do tipo: "imaginar nos dá esperança de que podemos inventar nosso prórpio futuro, de que nossas ações do presente irão repercutir em nosso futuro." E depois dessa cena, aparece a Diana adulta, sentada na mesa, refletindo e chorando. Foi exatamente isso que ela fez. Imaginou como ela poderia ser no futuro: "uma mulher madura e responsável, boazinha" e pensou que assim seria capaz de mudar seu futuro. Mas chega à conclusão de que não foi possível, pois o fato de ter oferecido sua própria vida ao assassino para poupar a vida da amiga foi a ação da personagem que mudou completamente o rumo de seu futuro. Aí aparece a cena dela e da amiga caminhando à noite, e a água molhando o jardim e a amiga começa a falar de quando ela era criança, que ela adorava ficar andando na chuva e observando as flores. Que algumas eram esmagadas e voltavam ao normal e era tão legal. É como se Diana tivesse a esperença de que a vida dela voltasse, como as flores que eram esmagadas e voltavam ao normal. E, logo depois de todas essas cenas, aparece a Diana adulta, novamente pensativa, sentada na mesa e ela diz: "eu tenho que ir." Finalmente aceitou que estava morta, pega as flores no jardim e leva à escola onde a tragédia ocorreu. Uma menina, na porta da escola pergunta se ela é uma das sobreviventes, pois se fosse, teria que se sentar no lugar reservado aos sobreviventes, e Diana passa direto. A partir daí ela já tem a consciência de que ela, na verdade, havia morrido aquele dia no tiroteio. Ela entra na escola, coloca flores na entrada, entra na sala que ela estudava, coloca tb flores na mesa do professor que morreu, depois em sua própria carteira. Quando vai entrar no banheiro, seu celular toca e ela recebe a notícia que sua filha sumiu da escola. Ela corre na floresta, em busca da filha, a menina pede por socorro e, aos poucos, ela vai se lembrando do que realmente aconteceu aquele dia no banheiro da escola, e quando a cena do banheiro acaba e a Diana adolescente cai no chão, a Diana adulta faz o mesmo. Acho que é por isso que o título é "the life before her eyes", pq o espírito de Diana, durante todo o filme, vê sua vida passar diante de seus olhos, até, finalmente chegar a conclusão, de que está morta, e não porque ela cria uma vida para si enquanto está prestes a tomar a decisão de dar sua vida para salvar a amiga no banheiro da escola. Mas essa é só minha opinião. Talvez o diretor tenha tido mesmo a intençao de passar essa idéia de que ela estava imaginando como seria seu futuro antes de tomar a decisão.

Amanda disse...

Quando assisti ao filme fiquei confusa para concluir qual seria a real proposta do produtor.
na verdade existem duas maneiras de se preceber o então título: "sem medo de morrer", vamos lá, de um primeiro momento vamus entender que a adolescente Diana brincava muuito com a vida, a questão das drogas e da promiscuidade nos seus atos. Quando no banheiro disse que o colega comentou com ela que levaria uma arma de fogo no colegio e mataria todos, o fato de ela não comunicar aos diretores ou com quem fosse denota essa idéia da ausencia do medo de morrer uma vez q mesmo sabendo da ideia do amigo e se ele afirmou q mataria todos ela estava incluída e não fez nada. E seguindo esse raciocineo ela por carregar uma culpa mto grande da amiga ter morrido se imaginou morrendo no lugar dela (pois se o cara era seu amigo, e contou q levaria a arma a ela, e porque talvez nao a matasse?) E qto a ela responder q nao era sobrevivente no dia da homenagem pode ser exatamente por isso, por nao querer ser identificada e por nao aceitar o que aconteceu nakele dia.
e um segundo momento me fez refletir a questão do filme ser uma projeção dela para com seu futuro diante das palavras dita pelo professor e na hr de sua morte ela se imaginar casada, com uma filha (filha cujo o nome foi tirado de um dos tumulos q viu, o q fica uma claro qdo a amiga diz q são os bebes Ñ NASCIDOS, daí jah percebemos a inexistencia dessa filha)e toda a sua vida!

Amanda disse...

E ainda perdebi uma terceira curiosidade que deixou a desejar, qdo ela e amiga no final conversando ela diz que ligou muitas vezespara o professor e que soh dava caixa postal e a amiga disse para combinarem os 4 de ir ao cinema, sua fala dentro do banheiro eh que conseguiria ver a amiga casada com Nate e etc, e a ultima cena do filme eh das duas entrando no banheiro e a porta batendo, nos dah a impressão de que tanto ela como a amiga poderiam ter morrido, ai quem escolhe eh o telspectador, ql fim ele gostaria! ficou subentendido, e qto a qualidade do filme acredito ser inquestionável pois no meu ponto de vista filmes com essa proposta que acabei de citar satisfaz o publico em geral, pois vc escolhe e entende o final que desejar. Acho bem bacana o autor que se dispoen a crair essa caracteristica para sua produção!

jhnsch disse...

Acho que o que causa mais confusão é o título em português, que não tem nada a ver com o original e dá uma perspectiva completamente diferente ao filme, muito mais superficial.
"The life before her eyes" já explica o sentido do filme. Tanto que as expectativas de vida da personagem são claramente expostas até o momento em que as duas entram no banheiro. Ela até diz que não aguenta mais esperar pra começar uma vida fora dali. Então, os principais fatos que marcaram a vida dela (vários já citados aqui) e suas expectativas futuras de vida, até o momento dos tiros, fizeram ela projetar uma vida adulta "perfeita", até que tudo começa a desmoronar, quando ela percebe que não vai sobreviver. Resumindo, entendi a proposta do filme quando fiquei sabendo o título original, depois de ter visto o filme e claro, ter ficado confuso como quase todo mundo aqui ahuaahuahahahahauhau

Eryka Cavalcanti disse...

Caraca!! Acabei de ver esse filme e fiquei viajando no final, não entendi nada, pensei até que tinha perdido algum detalhes, então corri pra pesquisar e ainda bem que achei aqui, até que as respostas são bem coerentes.
Muito doida a idéia desse filme.
Siceramente fiquei bastante decepcionada, fazer o que já assisti mesmo.

Gege disse...

Agora sim com a ajuda acima compreendi o filme. Diana morre no lugar da amiga (SEM MEDO DE MORRER), mas tem uma visão de tudo o que poderia ter acontecido na sua vida (a VIDA DIANTE DE SEUS OLHOS). Q coisa louca!!! Parece até o filme "Brilho eterno de uma mente sem lembrança" Assisti duas vezes para entender. Os títulos justificam o filme.

Vida de Gente Grande disse...

Meu marido saia para trabalhar,acordei,liguei a tv(Via Embratel),vi o filme,começando,e não consegui voltar a dormir!De fato,o filme é interessante!Gostei sim,nota 10.Claro que;tenho que admitir que,algumas dúvidas em relação ao final do filme,foram sanadas aqui,através de algumas mentes fabulosas!Obrigada!Estava nervosa,sem saber se o que eu entendi tinha coerência!(Esposa do Clelson)

juulia_barbosa disse...

eu vi o filme 5 vezes.... *------*

Na hora que ela esta de frente com a ''morte'' (o garoto com a arma) ela fica imagunando como seria a vida dela se ela escolhece viver... tanto que no final do filme o colar dela abre e se transforma nos tiros que ela levou ao fazer sua decisão....

steffroses disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
steffroses disse...

Ahhhhh agora ficou td claro! Ma so uma obs. Ela projetou o prof como seu futuro marido pq ela estava saindo com o prof pouco antes de sua morte.Quando a Diana velha ve a Diana nova com o prof é pq a Diana nova estava realmente saindo com ele,tanto que antes de entrarem no banheiro Maureen pergunta a Diana se o prof a havia ligado. E o prof é justamente aquele que estava dando a ultima palestra, acho q foi lá que eles se conheceram.Tbm, Emma foi um dos nomes que Maureen comentou com Diana que daria a sua filha então Diana gostou e disse que ficaria com o nome e Maureen ficaria com um nome de menino(que não me recordo) . Dps que ela fez o aborto a chocou ver na suposta lapide o nome de sua suposta filha.
Bjs

Daniela disse...

Outra coisa que eu percebi, é que a menina (Emma) estuda no mesmo lugar onde estava a manifestação das crianças abortadas...

SRAB disse...

Eu acho que Maureen que sobreviveu e passou a viver a vida como se fosse a Diana!!!
Pireiiiii.

Isie Fernandes disse...

São muitos comentários, não li todos, mas, pelo que li junto ao que compreendi, cheguei à conclusão de que Diana pensou em como seria sua vida caso a amiga morresse. Por esse motivo, Maureen não estava presente em sua vida adulta; ela teria morrido. Outro ponto importante é a questão da consciência. Emma pergunta sobre o significado dessa palavra e Diana responde que é complicado. Simplesmente, Diana analisou a situação e percebeu que não conseguiria manter sua consciência limpa se consentisse com a morte da amiga. Então, morreu.

Araualle Santana disse...

Puuuuuuult's , muitos comentários , mais o comentário que me deu mais confiança foi o da Fernanda o que é mais coerente .. Daí pode ser que o título do filme em Inglês não interfira em nada no filme , pelas partes sobressaltadas do filme em que a Fernanda resaltou , comprova que Diana só não estava satisfeita com sua morte !
É um filme muito interessante , mais envolve muito a criatividade & inteligência para entender.'

Unknown disse...

concordo com vc...

Unknown disse...

concordo com vc...

Unknown disse...

Gente, que Filme é esse! Realmente eu fiquei super confuso com o final. Fiquei com a pulga atras da orelha. kkkk
Obrigado ao comentários que explicaram de uma forma formal.

Postar um comentário