O Suspeito


O diretor Gavin Hood, do premiado Infância Roubada, apresenta um thriller político eficiente e com ótimo elenco. O longa-metragem é sobre o desaparecimento do egípcio Anwar El-Ibrahimi, que por ser suspeito de vender informações a terroristas acaba sendo torturado pelos americanos. Após o 11 de setembro, os Estados Unidos vêm enfrentando uma neura com os possíveis atentados e esse procedimento voltou a ativa no dia seguinte a queda das torres gêmeas. Entra em cena, o agente Douglas da CIA, interpretado por Jake Gyllenhaal, com a missão de descobrir se El-Ibrahimi é culpado e a esposa do desaparecido, na tela personificada por Reese Wintherspoon. Ainda em cena, Meryl Streep como a chefona do Serviço Secreto e Alan Arkin no papel de um senador influente.

Com uma teia de personagens, O Suspeito consegue manter as várias linhas narrativas sem derrapar uma só vez. A montagem do projeto é perfeita e reserva as surpresas para os momentos certos. As atuações do time de estrelas não deixam a desejar.

Baseado em fatos reais, a trama interessante alerta para as atrocidades do governo norte-americano, enquanto o roteiro bem escrito apresenta bons diálogos e situações pertitentes para debates, possibilitando assistir o filme como puro (e bom) entretenimento ou como um painel da realidade. A produção consegue um resultado muito melhor que o também recente e politizado
L
eões e Cordeiros. A explicação para o pouco barulho que gerou nos Estados Unidos só pode ser por tocar o dedo na ferida.

Nota: 8

1 comentários:

marquinhos disse...

Pronto. Não preciso ler mais nenhum release de imprensa ou órgão especializado em cinema. Eu tenho um amigo-cinema! ^_^ Bela análise!

Abração!


p.s.: Tá favoritado no meu!
p.s.2: Usando blogpatrol aqui também, é? Quem te ensinou, hein? Hein?

Postar um comentário