Garçonete

É um prazer assistir filmes como Garçonete - comédia dramática que foge dos padrões. No filme, Jenna (Keri Russell) é uma garota bonita e inteligente, porém perdeu todo seu ânimo ao viver infurnada em uma lanchonete de beira de estrada e sufocada pela presença do marido Earl, possessivo e dominador. Logo no início do filme, ela descobre que está grávida, e essa criança significa mudança em sua vida: quer largar o marido e abrir seu próprio estabelecimento, onde poderá produzir as suas deliciosas tortas.

Com uma leve raiz nas produções alternativas, o filme não tenta a sorte em uma narrativa simples. O roteiro é mais profundo do que aparenta, sabendo equilibrar ironia e charme. A estréia de Adrienne Shelly na direção é um achado (pena que ela morreu antes da estréia do projeto). Seu texto divertido e esperto dá um dinamismo incomum: Jenna dá nomes bizarros para cada torta que inventa, como: “Eu não quero o bebê do Earl”!

Mais que um passatempo descartável, Garçonete conversa com o espectador sobre a importância do ser humano ter força de vontade e critica o comodismo cada vez mais frequente na sociedade. O longa-metragem, além de hiper simpático, é um programa com um sabor diferente e com uma linda lição ao final. Sem muita atenção, é um filme que pode passar despercebido na hora de escolher entre os inúmeros títulos na prateleira da locadora. Se não criar muita expectativa, vale a pena experimentar.

Nota: 8,2

3 comentários:

marquinhos disse...

Gravidez? Replay de Juno? Essas mulheres! Ai ai ai! :P Bela crítica! Ainda não assisti, vou fundo quando estiver pelas prateleiras da locadora.

Abração Max!

jpallemand disse...

"Hiper simpática", considero das melhores críticas que escreveste. Keep up the good work sun. Há.
Abraço.

PS: para postar este comentário tive de escrever "niuupxg" na verificação de palavras. Esses nerds tão forçando a barra já.

André Esteves disse...

Não tem como se deliciar com "Garçonete", o próprio enredo do filme, que gira em torno da criação de tortas, já nos proporciona isso, rsrs. E a Keri Russell é tão amazing! Linda, encantadora e talentosa.

O filme é uma ótima opção para aquele dia de frio, sem nada para fazer, acompanhado de pipoca e um chocolate quente. "Garçonete" é 10!

Postar um comentário